Vendas internas de produtos químicos de uso industrial recuam entre maio e abril

O volume de vendas internas do segmento de produtos químicos de uso industrial teve queda em maio de 4,37% e de 12,43% em abril, respectivamente, na comparação com os meses anteriores. No entanto, em relação aos mesmos meses de 2020, o volume de vendas apresentou altas expressivas, de 21,47% em maio e de 47,37% em abril, mostram os dados preliminares do balanço Abiquim-FIPE.


No que se refere ao índice de produção, contudo, houve elevação de 4,93% em maio e de 3,12% em abril, sobre os meses anteriores. A variável também teve crescimento expressivo na comparação deste ano com iguais meses do ano passado: +29,42% maio contra maio e +20,97% abril sobre abril.


O índice de utilização da capacidade instalada ficou em 71% em maio, quatro pontos percentuais acima da média do mês anterior, sobretudo pelo retorno de algumas unidades que realizaram paradas programadas para manutenção em abril, na região do ABC, em São Paulo.


Mesmo com crescimento positivo dos últimos meses, o setor continua preocupado com o baixo nível de ocupação das plantas, diante do aumento da demanda interna e cenário nacional de incerteza: “Há receio com o impacto de uma possível terceira variante da pandemia e com a crise hídrica que se aproxima do País”, explica a diretora de Economia e Estatística da Abiquim, Fátima Giovanna Coviello Ferreira, em nota oficial.


No acumulado de janeiro a maio de 2021, os índices de volumes do segmento de produtos químicos de uso industrial mantiveram o ritmo positivo que vinha sendo registrado nos meses anteriores, com os seguintes resultados comparativos: produção +9,33%, vendas internas +15,86% e consumo aparente nacional (CAN) +11,6%, sempre em relação a igual período de 2020. A taxa de ocupação das instalações alcançou 71% na média entre janeiro e maio, dois pontos acima da de igual período de 2020, mostrando melhorias significativas em sete dos oito grupos avaliados.


Fonte: Notícias Abiquim