Dow apoia projeto que busca conscientizar e debater ideias sustentáveis

A Dow, indústria química associada à Abiclor, em parceria com o jornal Valor Econômico, Editora Globo e CBN, está promovendo o projeto “Inovação que Transforma”, série de lives que coloca em debate os conceitos de lixo, economia circular e sustentabilidade. O primeiro episódio foi ao ar no dia 28 de julho, com a participação de Izabel Assis, Vice-presidente comercial da Dow na América Latina para a unidade de Embalagens e Plásticos de Especialidade, Gabriel Castellano, Gerente Sênior de Pesquisa e Desenvolvimento de Embalagens da P&G na América Latina, Hugo Fernandes, Influenciador Científico, Biólogo de Conservação e Sócio na Seteg Soluções Ambientais e Telines Basílio (Carioca), Diretor Presidente da Cooperativa Coopercaps e está disponível no YouTube.

O projeto discute a ideia da reciclagem infinita, no qual o lixo deixa de existir. O papel da indústria – em especial a indústria química – é fundamental na ressignificação de compostos para a economia circular, ou seja, não há desperdício de matéria prima. A recuperação de materiais e sua reintrodução no ciclo produtivo movimenta a economia, gerando empregos e renda, além de proteger o meio ambiente.

“A pesquisa e a inovação são fundamentais para que a indústria química avance no desenvolvimento de materiais voltados à circularidade”, avalia Milton Rego, presidente executivo da Associação Brasileira da Indústria de Álcalis, Cloro e Derivados (Abiclor). Além disso, a cadeia produtiva desses compostos precisa ser planejada de forma a causar o menor impacto ambiental possível, com reuso da água, eficiência energética, utilização preferencial de fontes renováveis, controle de e missões e outras diretrizes já consolidadas como melhores práticas, que a Abiclor faz questão de divulgar e defender.

Milton Rego destaca a importância de iniciativas como esta, promovida pela Dow, que leva o debate para além dos portões das fábricas. “A sociedade precisa estar envolvida neste debate, porque o desenvolvimento sustentável precisa ser discutido de forma integral, da produção ao consumo, do consumo ao descarte adequado e à reciclagem”, comenta o executivo.