Olhos ardendo depois da piscina? A culpa não é do cloro!

Quem nunca ficou com os olhos vermelhos depois de um banho de piscina? Normalmente, as pessoas acabam culpando o “excesso de cloro”, mas essa ideia não poderia ser mais equivocada! Na verdade, de forma resumida, a ardência e vermelhidão nos olhos acontece quando a quantidade de cloro na água é insuficiente para eliminar as impurezas presentes. 

Muitas vezes, quando não limpas com frequência, as piscinas apresentam urina, suor, cabelo, resíduos de protetor solar, maquiagem etc, que se acumulam e, em combinação com o cloro, formam as cloraminas. Essas substâncias são as verdadeiras responsáveis pelo “forte cheiro de cloro” e indicam que o espaço precisa de uma bela limpeza urgente!

Para evitar esse problema, se possível, confira se todos os banhistas tomaram uma ducha antes de utilizar o lugar. Não é frescura. Esse simples gesto pode amenizar as impurezas liberadas e evitar problemas, como os olhos vermelhos.

Outra possível causa para o incômodo nos olhos é o nível de pH fora do parâmetro recomendável. Esse número deve estar sempre entre 7,2 e 7,6. Caso contrário, haverá formação reduzida dos subprodutos do cloro responsáveis por desinfetar a piscina. Assim, mesmo se adicionada uma boa quantidade do produto, o local continuará desprotegido. 

Para evitar isso, tente sempre medir o nível de pH. Se estiver muito baixo, utilize o elevador de pH. Já se o número estiver acima de 7,8, utilize o diminuidor de pH. Caso você seja o responsável por limpar a própria piscina, separe um tempo diariamente para essa tarefa e divirta-se com a responsabilidade.