Brasil sobe 5 posições e fica em 57º lugar no Índice Global de Inovação

O Brasil subiu posições e alcançou 57º lugar no Índice Global de Inovação (IGI) entre 132 países avaliados. Apesar do País ter subido cinco posições na comparação com o ano anterior, a situação é considerada ruim, já que a classificação está 10 posições abaixo da sua melhor marca, a 47ª colocação, obtida em 2011. Neste ano, ficaram no topo da lista Suíça, Suécia e Estados Unidos, respectivamente.


O estudo, divulgado nesta segunda-feira, 20, é da Organização Mundial da Propriedade Intelectual (OMPI – WIPO, na sigla em inglês), em parceria com diversas entidades, entre elas a Confederação Nacional da Indústria (CNI).


O Índice Global de Inovação é formado pela média de cinco pilares (Instituições, Capital humano e pesquisa, Infraestrutura, Sofisticação de mercado e Sofisticação empresarial) do subíndice Insumos de inovação e dos dois pilares (Produtos de conhecimento e tecnologia, e Produtos criativos) do subíndice Produtos de inovação, distribuídos em 81 indicadores.


Dentre os três fatores que levaram o Brasil a uma melhor colocação em relação ao ano passado foram a retração do PIB – que dá uma falsa percepção de avanço em razão do uso dessa medida relativa em alguns indicadores –, a inserção de novos indicadores no ranking e a boa atuação empresarial, refletida no desempenho em indicadores como produtos de alta tecnologia e valores recebidos por uso de propriedade intelectual. O uso de dados de outros anos e o plano de combate ao backlog de pedidos de patentes também podem ter contribuído para o ganho de colocações.


O Brasil continua a ter melhor desempenho em insumos de inovação do que em resultados de inovação, ocupando o 56º lugar (59º em 2020) e 59º (64º em 2020), respectivamente. No entanto, a CNI observou que o país carece e muito de políticas de incentivo à inovação e tem sofrido cada vez mais com cortes do financiamento público à agenda de CT&I.


Já as fraquezas do Brasil apontadas pela pesquisa, são formação bruta de capital (investimentos), facilidade para abrir uma empresa e obter crédito e taxa tarifária aplicada.

Fonte: Agência de notícia CNI