Abiquim: Importações puxam déficit recorde de US$ 18,6 bi no semestre

As importações brasileiras de produtos químicos no primeiro semestre totalizaram US$ 25 bilhões, aumento de 27,8% em relação ao igual período de 2020. O montante superou em U$ 3 bilhões (total equivalente ao valor médio de um mês em importações) o maior valor registrado até então para igual período, de US 22 bilhões, entre janeiro e junho de 2013 (ano do déficit recorde de US$ 32 bilhões em produtos químicos).
O valor importado foi superior a US$ 3,5 bilhões em todos os meses do primeiro semestre, tendo atingido, em junho, a inédita marca de US$ 5 bilhões em um único mês.


As exportações brasileiras de produtos químicos, por sua vez, somaram no período US$ 6,4 bilhões, alta de 15,6% ante os mesmos meses do ano anterior. Esse crescimento é em grande parte justificado pelo aumento dos preços médios de produtos químicos no mercado internacional, com o desdobramento de um incremento de 9,8% nos preços de vendas dessas mercadorias pelo Brasil aos seus parceiros comerciais.


Em termos de quantidades transacionadas, as movimentações de produtos químicos foram recorde tanto com as importações de 26,5 milhões de toneladas quanto com as exportações de 8,1 milhões de toneladas, respectivamente aumentos de 15,9% e de 5,2% em relação aos maiores registros anteriores.


O déficit acumulado da balança comercial de produtos químicos atingiu o recorde de US$ 18,6 bilhões para primeiros semestres, um expressivo aumento de 32,7% comparado com o mesmo período de 2020. Nos últimos 12 meses (jul/20 a jun/21), esse indicador totalizou US$ 34,8 bilhões, sinalizando que o déficit em 2021 deverá ser o maior em toda a série histórica do monitoramento da balança comercial setorial, mesmo com os enormes desafios no enfrentamento da pandemia e para a retomada sustentada da atividade econômica.


Fonte: Notícias Abiquim