Mulheres que fazem parte da história da natação brasileira

No dia Internacional da Mulher, confira a história de três atletas brasileiras das piscinas, detentoras de títulos, recordes e muitos pódios.

Maria Lenk: primeira sul-americana a participar de uma Olimpíada, no ano de 1932, Los Angeles, com uma delegação completamente masculina, numa época em que a presença feminina no evento era considerada ainda uma afronta aos bons costumes.  No auge da carreira, em 1939, Lenk quebrou dois recordes mundiais, nos 400m e 200m do estilo peito. Maria Lenk faleceu em 2007, aos 92 anos.

Joanna Maranhão: primeira nadadora do país a disputar quatro Olimpíadas (2004, 2008, 2012 e 2016), é recordista e campeã sul-americana. Aos 17 anos foi finalista nas Olimpíadas de Atenas, na Grécia, tendo conquistado o 5º lugar nos 400m medley, o que garantiu a melhor colocação de uma nadadora brasileira na época. Joanna se aposentou das piscinas em 2008.

Etiene Medeiros: ainda em atividade, Etiene está se preparando para os Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020, depois de ter conquistado em 2014, aos 23 anos,  medalha de ouro e o recorde da prova de 50m costas, do mundial de Doha. O resultado garantiu à nadadora o título de primeira mulher brasileira a subir no lugar mais alto do pódio em um mundial.

Fonte: Globoesporte.com, Esporte fera (Estadão) .