Cloro evita água esverdeada

No verão, o uso frequente da piscina requer maior atenção e cuidados com a qualidade da água.  Para evitar que a água fique esverdeada, a supercloração deve ser feita a cada 15 dias pelo menos ou sempre que a água estiver com “cheiro de cloro”, apresentar  colorações estranhas, ausência de brilho e após chuvas intensas. A alteração da cor da água é provocada pela falta de cloro, o que fez com que as algas (seres microscópicos que crescem nas paredes e fundo das piscinas) se desenvolvam em progressão geométrica em questão de horas.  “A felicidade da alga é não ter cloro”, afirma Nilson Maierá, engenheiro químico especialista em segurança de piscinas e autor do livro “Piscinas Litro a Litro”.

A presença de algas deixa a água turva  e as bordas escorregadias. Assim, além de aplicar cloro, que elimina esses microorganismos, é importante também fazer a escovação das bordas, das paredes e do fundo da piscina para que as algas desgrudar as algas da superfície.

Na alta temporada, é importante também filtrar diariamente a água pelo tempo necessário (em geral duas horas) para que ela fique límpida.

Para mais informações acesse o manual “Piscina sem Lágrimas”, da Abiclor