Natação ajudou reabilitação de atleta paralímpica

Em sua estreia paralímpica, a capixaba Patrícia Pereira ajudou o Brasil a conquistar a prata no revezamento 4x50m livre misto até 20 pontos, prova realizada na última sexta-feira, dia 9. A natação ajudou Patrícia na sua reabilitação após levar um tiro na região do pescoço, que a deixou tetraplégica. Aos 24 anos, com dois filhos, ela viu sua vida mudar radicalmente. Demorou um ano para voltar a sentar e dois para reaprender a falar. Há sete anos, aprendeu nadar e fez do esporte paralímpico um aliado.

Aos poucos, foi recuperando o controle do tronco e alguns movimentos dos braços. Mas as pernas continuaram paralisadas. Incentivada a nadar, embora nunca tivesse aprendido o esporte, Patricia aceitou o desafio. Ela conta, em entrevista ao portal G1, que ficou “apavorada” no começo. “Mas um dia resolvi perder o medo e acreditar. Quando me convidaram pela terceira vez, não resisti. A natação é uma forma de você se sentir livre, se sentir capaz. Eu tenho dois filhos, sempre fui o pilar da minha casa, e nada como você se reinventar mostrando que está ali, ativo

Hoje, aos 39 anos, a nadadora está sempre sorridente, feliz com a sua estreia nas Paralimpíadas.