Abiclor vai mapear expectativas e preocupações socioambientais de stakeholders

A Associação Brasileira da Indústria de Álcalis, Cloro e Derivados (Abiclor) está construindo, em parceria com suas associadas, uma matriz de materialidade social e ambiental – uma ferramenta fundamental para ampliar o envolvimento e esforços coletivos para gerar impactos positivos na sociedade.

“O objetivo é identificar quais são os temas mais estratégicos a serem priorizados nas ações da associação, para nortear uma agenda de implementação dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da Organização das Nações Unidas”, destaca Milton Rego, presidente-executivo da entidade.

A associação elaborou um questionário de pesquisa cujo objetivo é entender as expectativas e preocupações dos stakeholders. Com os resultados, será possível analisar os pontos importantes e que impactam todos os agentes envolvidos com o desenvolvimento e a sustentabilidade do setor. Essa é uma construção conjunta entre a Abiclor, empresas e diversos parceiros da cadeia produtiva.

A matriz de materialidade faz parte das ações desenvolvidas pela Abiclor e pela Agência Ambiental do Estado de São Paulo (Cetesb), envolvendo a cadeia de valor da indústria de cloro-álcalis, por meio do Protocolo de Intenções assinado entre as duas entidades durante a semana de Meio Ambiente, em junho de 2021.

A diretora-presidente da Cetesb, Patrícia Iglecias, destaca que: “o Programa ‘Cetesb de Portas Abertas’ contribui para que a companhia possa ampliar o diálogo junto ao setor privado; dessa forma, o trabalho com a Abiclor possibilita a troca de experiências e conhecimento com intuito de incentivar, reunir, disseminar e difundir o progresso, ações e transformações alcançadas pelo setor privado no estado de São Paulo, no atendimento aos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável”. A executiva lembra ainda: “a Abiclor já é uma parceira de longa data da Cetesb no que se refere às capacitações e integração dos técnicos da Companhia com o setor de cloro-álcalis, sempre com ênfase em segurança química. Os produtos do Setor são fundamentais para melhoria das condições de higiene e para a redução de doenças de veiculação hídricas”.