Abiclor: aprovação da Lei do Gás deve baratear custo da energia e atrair investimentos

A aprovação da Lei do Gás na última terça-feira, na Câmara dos Deputados, permitirá maior acessibilidade ao insumo, competitividade e capilaridade por todo o Brasil, afirma o engenheiro Mauricio Russomanno, presidente do Conselho Diretor da Abiclor.

O PL, aprovado sem alterações pelos deputados e que agora segue para o Senado, estabelece mecanismos de desverticalização da cadeia produtiva com o objetivo de destravar investimentos e retomar o crescimento industrial no Brasil, a partir de um gás confiável e competitivo. Segundo Russomanno, os deputados deram um passo muito importante ao colocar o gás como vetor central da retomada da economia brasileira, sinalizando uma mudança de paradigma, com menos intervenção estatal e mais competição de mercado.

Com a aprovação da lei, os produtores de gás obtêm segurança jurídica para fazer a comercialização. Assim, a derrubada do monopólio da Petrobras permitirá a grandes consumidores comprar gás dos fornecedores que oferecerem os melhores preços.

O custo elevado da energia, que representa em torno de 50% do custo industrial de produção, tirou competitividade da indústria de cloro-álcalis nos últimos anos, inibindo novos investimentos. O gás irá baratear o custo da energia promovendo novos investimentos privados, afirma o executivo.