Home / Noticias / Abiclor participa, em Brasília, de reunião no ME e de almoço com o ministro Paulo Guedes

Abiclor participa, em Brasília, de reunião no ME e de almoço com o ministro Paulo Guedes

O diretor-executivo da Abiclor, Martim Afonso Penna, participou em Brasília, nesta quarta-feira, dia 20, da 3ª reunião da Mesa Executiva: Indústria Química de Base, grupo de trabalho criado pelo Ministério da Economia que conta com a presença de representantes do setor público e privado. O objetivo do grupo de trabalho é discutir as prioridades e as formas de implantação de medidas para o desenvolvimento sustentável do setor químico no Brasil.

Um dos temas prioritários da reunião foi o acesso ao gás natural, fonte estratégica de energia e essencial para aumentar a competitividade do setor químico.  Os representantes da indústria destacaram a necessidade de acessar no curto prazo o gás da Bolívia  e de viabilizar a construção de gasoduto (550 km) para acesso ao  gás da formação  de Vaca Muerta,  localizada na bacia de Neuquén, norte da Patagônia (Argentina), o que contribuiria para aumentar  a oferta e reduzir o custo do insumo.

Outros assuntos abordados foram o estímulo do mercado livre de gás, a importância de um alinhamento das legislações estaduais do gás natural (tendo como exemplos os estados de Sergipe e Rio de Janeiro) e a preocupação da indústria com a proposta da Petrobras à ANP de flexibilização dos limites para a presença de hidrocarbonetos no gás natural como etano, que é matéria-prima para o setor químico.  O secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Serviços e Inovação, Gustavo Ene, se comprometeu a solicitar ao Ministério do Meio Ambiente o posicionamento do ministério sobre essa questão da alteração da especificação do gás natural o mais breve possível.

Martim Afonso Penna participou também ontem de almoço, promovido pela Frente Parlamentar de Química, que conta com o apoio da Abiclor, reunindo o ministro da Economia, Paulo Guedes, o secretário especial Paulo da Costa, empresários da indústria química e a Abiquim.

Um dos assuntos mais discutidos à mesa, além da questão da energia e do gás, foi o empenho do governo em desenvolver a cabotagem. A navegação é uma alternativa competitiva para a indústria química, que defende a abertura para empresas nacionais e estrangeiras.

Ministro Paulo Guedes com o livro da Abiclor.

No final do almoço, o diretor-executivo da Abiclor entregou ao ministro Paulo Guedes o livro comemorativo dos 50 anos da associação: Cloro-Álcalis: Origem, Evolução da Indústria e Valor para a Sociedade.

 

 

Veja também

IBGE: Produção industrial cresce 0,8% em outubro

De acordo com dados da Pesquisa Industrial Mensal, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e …