Home / indústria / Unipar e AES Tietê criam joint venture para complexo de geração de energia limpa

Unipar e AES Tietê criam joint venture para complexo de geração de energia limpa

A Unipar, uma das líderes na indústria química na América do Sul, e a AES Tietê, geradora de energia renovável que agrega valor aos seus clientes por meio de soluções integradas e sob medida,  anunciaram a criação de uma joint venture na área de energia eólica. Com controle compartilhado entre as duas empresas, o projeto eólico tem capacidade instalada de 155 MW no Nordeste do Brasil.

O projeto faz parte do Pipeline Greenfield cujos direitos hoje pertencem à AES Tietê, nos municípios de Tucano, Biritinga e Araci, no Estado da Bahia. A estimativa é que o início de construção seja em 2021, com investimento total de R$ 620 milhões, divididos entre as duas empresas. Do total da capacidade, parte foi comercializada por meio de um contrato de longo prazo entre a joint venture e a Unipar com vigência a partir de 2023.

Segundo Anibal do Vale, CEO Unipar, “este projeto suporta a estratégia da empresa, grande consumidora de energia, gerando mais valor para a sociedade e acionistas através da produção de energia limpa”.

A Unipar é referência na produção de cloro e derivados, além de soda cáustica e PVC, fornecendo insumos para os setores têxtil, de papel e celulose, alumínio, alimentos, bebidas, remédios, construção civil, dentre outros. Há 50 anos no mercado e com ações listadas na Bolsa de Valores de São Paulo (B3), a companhia registou receita líquida de R$ 3,5 bilhões em 2018 e conta com cerca de 1400 colaboradores trabalhando em suas três plantas industriais, baseadas nos polos de Cubatão (SP), Santo André (SP) e Bahía Blanca (Argentina).

A AES Tietê atua como uma plataforma integrada de energia adaptável às demandas dos seus clientes. Suas soluções são sustentáveis e customizadas de acordo com cada necessidade. Está entre as maiores companhias privadas de geração do Brasil, atuando no país há 20 anos. Possui 9 usinas hidráulicas e 3 pequenas centrais hidrelétricas, localizadas no Estado de São Paulo, o Complexo Eólico Alto Sertão II, na Bahia, e dois Complexos Solares no Estado de São Paulo, o Complexo Guaimbê e o Complexo Ouroeste.

Veja também

IBGE: Produção industrial cresce 0,8% em outubro

De acordo com dados da Pesquisa Industrial Mensal, divulgados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e …