Home / dicas / Limpeza com água sanitária após inundações evita doenças

Limpeza com água sanitária após inundações evita doenças

As chuvas intensas que atingiram várias cidades da região Sudeste, provocando inundações e alagamentos, abrem a porta para doenças como leptospirose, Hepatite A e E, gastroenterites, febre tifoide, tétano, cólera, toxoplasmose entre outras. Nessas situações, a sujeira de esgotos e bueiros, e coliformes fecais, misturam-se à enxurrada e à lama das enchentes, provocando doenças transmissíveis pela água.

Para combater a disseminação dessas doenças e evitar riscos à saúde é muito importante fazer a limpeza correta de residências, estabelecimentos comerciais atingidos pelas chuvas, para eliminar os microorganismos patogênicos. O método mais eficaz para a higienização de ambientes afetados por inundações, já comprovado por pesquisas científicas, é o uso de água sanitária, produto que tem de 2% a 2,5% de  cloro ativo.

Modo de usar  

Para cada 1 litro de água, utilize 4 colheres das de sopa de água sanitária para a limpeza de azulejos, pisos e outras superfícies molhadas pela inundação. Tenha certeza de que desinfectou e limpou todas as superfícies contaminadas, tanto interior quanto exterior.

É preciso também redobrar os cuidados na higienização de verduras, legumes e frutas, que podem ter sido contaminadas pela água das inundações.

Primeiro, lave bem as verduras e frutas em água corrente para tirar a sujeira mais visível. Depois, numa bacia plástica coloque uma colher das de sopa (15 ml) de água sanitária para cada litro de água e mergulhe as verdura e frutas nessa solução, deixando-as de molho por cerca de 30 minutos, agitando-as de vez em quando. Lave tudo novamente em água corrente para retirar a água sanitária.

Outros cuidados

  • Despeje uma colher de sopa de água sanitária para cada litro de água em ralos de pias, banheiros e cozinha.
  • Vaso sanitário: use duas colheres de hipoclorito de sódio por litro de água no vaso, nos ralos do banheiro, cozinha e a área de serviço.
  • Piscina: o cloro presente na água pode evaporar e virar foco de mosquitos transmissores de doenças, portanto, mantenha-a sempre coberta ao estar fora de uso e não deixe que água seja acumulada em sua lona de proteção.
  • Caixa d’água: sua limpeza deve ser realizada a cada seis meses. Para isso, feche sua entrada de água e a deixe quase vazia, com água restante suficiente apenas para lavar suas paredes e fundo com uma escova. Nesta etapa, não utilize nenhum produto de limpeza, apenas água. Após isso, enxague bem, livrando-se da água suja e deixando-a completamente vazia. A encha novamente com um litro de água sanitária para cada 1.000 litros de água e deixe o produto agir por duas horas. Passado o tempo, a esvazie mais uma vez, abrindo todas as torneiras para desobstruir os canos da residência até que saia somente água limpa. Para finalizar, encha com água potável e tampe.

Veja também

Brasil desperdiça 38% da água potável, mostra estudo do Trata Brasil

Acadêmicos, especialistas e profissionais ligados à água são categóricos de que o Brasil é um ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *