Home / Noticias / Gás Natural como matéria-prima é tema de encontro da FPQuímica

Gás Natural como matéria-prima é tema de encontro da FPQuímica

A Frente Parlamentar da Química promoveu ontem, dia 6, um café da manhã para discutir o Gás Natural como Matéria-prima. O tema, que é coordenado na Frente pelo deputado Davidson Magalhães (PCdoB/BA), é de extrema importância para a economia brasileira e é uma das demandas prioritárias da FPQuímica.

O presidente da FPQuímica, deputado João Paulo Papa (PSDB/SP) destacou a relevância do gás natural como matéria-prima, lembrando que a indústria química está na base de diversos setores industriais e, portanto, a disponibilidade de matéria-prima mais competitiva terá efeito positivo em toda a cadeia industrial.

Marcus de Marchi, presidente do Conselho Diretor da Abiquim e CEO da Elekeiroz, fez uma apresentação sobre o tema e afirmou que o interesse do setor é investir no Brasil. “É fundamental elaborar um PL que estabeleça que o óleo e o gás do Pré-sal sejam utilizados para gerar emprego e renda dentro do país. De Marchi ressaltou ainda que “O nosso pleito principal é solicitar apoio para que finalmente haja regulamentação do artigo 58 da Lei do Gás, que trata de gás natural como matéria-prima”.

O deputado Davidson Magalhães destacou que não podemos ser primários exportadores de matéria-prima. Segundo o deputado, a oferta de gás no Brasil está crescendo e isso significa que podemos ter acesso a uma matéria prima barata, para uma indústria que é geradora de empregos, crescimento da economia nacional. “Estamos na contramão do crescimento. Nossa prioridade é elaborar uma proposta que aborde a curto prazo uma forma de aumentarmos a competitividade para a indústria. Precisamos elaborar uma política industrial em áreas estratégicas, em especial para a indústria química. Precisamos reduzir a dependência internacional para esse aspecto” afirmou o coordenador.

O secretário de petróleo, gás natural e combustíveis renováveis, do MME, Márcio Bezerra afirmou que o ministério está à disposição para buscar uma política emergencial para trazer uma solução, em especial no que tange a regulamentação da Lei no CNPE e posteriormente, buscar ajustes e continuar trabalhando este tema em conjunto. “Estamos juntos para buscar convergência dentro do governo para que possamos avançar rapidamente na resolução deste tema”, finalizou o secretário.

Além dos parlamentares e autoridades já citados, estiveram presentes os deputados Afonso Motta (PDT/RS), vice-presidente da FPQuímica na Câmara, Assis Melo (PCdoB/RS), Jô Moraes (PCdoB/MG), Mendes Thame (PV/SP), Milton Monti (PR/SP), coordenador e Infraestrutura e Logística da Frente, Otávio Leite (PSDB/RJ), coordenador de Petroquímicos e Zé Augusto Nalin (PMDB/RJ). Também participaram do encontro Gustavo Fontenele, representando o MDIC, Junia Motta, representando a ABDI, Rafael Monico, representando a Frente Parlamentar da Química do Estado de São Paulo, além de executivos e representantes do setor.

 

Veja também

Mais de 4 milhões de brasileiros precisam defecar ao ar livre, diz relatório da ONU

Mais de 4,1 milhões de brasileiros de áreas rurais, ou 2% da população do país, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *