Home / Noticias / Para cumprir metas dos ODS, é necessário aumento drástico nos investimentos em água e saneamento

Para cumprir metas dos ODS, é necessário aumento drástico nos investimentos em água e saneamento

Os países não estão aumentando os gastos com rapidez suficiente para atender às metas dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) relacionadas à água e ao saneamento, aponta um novo relatório publicado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) em nome do UN-Water (ONU Água), mecanismo interagencial das Nações Unidas para assuntos relacionados à água e questões de saneamento.

“Hoje, quase dois bilhões de pessoas usam fontes de água potável contaminada com fezes, isso as coloca em risco de contrair cólera, disenteria, febre tifoide e poliomielite”, afirmou Maria Neira, diretora do Departamento de Saúde Pública, Determinantes Ambientais e Sociais da Saúde da OMS.

“Estima-se que a água potável contaminada cause mais de 500 mil mortes por diarreia a cada ano e esse é um fator importante em várias doenças tropicais negligenciadas, incluindo vermes intestinais, esquistossomose e tracoma”, acrescentou Neira.

O relatório salienta que os países não satisfarão as aspirações globais de acesso universal à água potável e ao saneamento a menos que sejam tomadas medidas para utilizar os recursos financeiros de forma mais eficiente e aumentar os esforços para identificar novas fontes de financiamento.

De acordo com o relatório UN-Water Global Analysis and Assessment of Sanitation and Drinking-Water (GLAAS) 2017, os países aumentaram seus orçamentos para água, saneamento e higiene a uma taxa média anual de 4,9% nos últimos três anos. Contudo, 80% dos países referem que o financiamento de água, saneamento e higiene (WASH) ainda é insuficiente para cumprir os objetivos definidos a nível nacional para esses serviços.

Em muitos países em desenvolvimento, os atuais objetivos de cobertura nacional têm base na obtenção de acesso a infraestruturas básicas, que nem sempre podem fornecer serviços continuamente seguros e confiáveis. Os investimentos planejados ainda não levaram em conta as metas dos ODS, muito mais ambiciosas, que visam o acesso universal a serviços de água e saneamento seguros para 2030.

Para atingir os objetivos globais dos ODS, o Banco Mundial estima que os investimentos em infraestrutura devem triplicar para US$ 114 bilhões por ano – um valor que não inclui custos operacionais e de manutenção.
Embora o déficit de financiamento seja amplo, 147 países já demonstraram a capacidade de mobilizar os recursos necessários para cumprir o Objetivo de Desenvolvimento do Milênio de reduzir pela metade a proporção de pessoas sem uma melhor fonte de água e 95 atingiram o objetivo correspondente de saneamento. Os objetivos muito mais ambiciosos dos ODS exigirão esforços coletivos, coordenados e inovadores para mobilizar níveis ainda mais elevados de financiamento de todas as fontes: impostos, tarifas (pagamentos e mão-de-obra das famílias) e transferências de doadores.

“Este é um desafio que temos a capacidade de resolver”, afirma Guy Ryder, Presidente do UN-Water e diretor-geral da Organização Internacional do Trabalho (OIT). “O aumento dos investimentos em água e saneamento pode produzir benefícios substanciais para a saúde humana e o desenvolvimento, gerar empregos e garantir que não deixemos ninguém para trás”.

Outros resultados:

Desembolsos da Assistência Oficial para o Desenvolvimento (ODA, sigla em inglês) para água e saneamento estão aumentando, mas investimentos futuros são incertos

Os desembolsos (despesas) da ODA em água e o saneamento aumentaram de US$ 6,3 para US$ 7,4 bilhões de 2012 para 2015. Entretanto, os compromissos de ajuda para água e saneamento diminuíram a partir de 2012, passando de US$ 10,4 bilhões para US$ 8,2 bilhões em 2015. Devido à natureza plurianual dos compromissos, se eles continuarem a diminuir, é provável que os desembolsos futuros também diminuam. Considerando uma necessidade maior de progredir no sentido do acesso universal aos serviços de WASH com segurança sob os objetivos dos ODS, a possibilidade de futuras reduções nos desembolsos da ajuda está em desacordo com as aspirações globais.

Extensão dos serviços de WASH aos grupos vulneráveis é uma prioridade política, mas a implementação está atrasada

Mais de 70% dos países relatam ter medidas específicas para alcançar populações pobres em suas políticas e planos do WASH. No entanto, a implementação concreta de tais medidas está atrasada: poucos países indicam que são capazes de aplicar consistentemente medidas de financiamento para destinar recursos às populações pobres. Aumentar e manter o acesso ao WASH para os grupos vulneráveis não será fundamental só para a consecução do ODS 6, mas também para o ODS 3, garantindo vidas saudáveis e promovendo o bem-estar de todas as pessoas em todas as idades.

O relatório GLAAS 2017 apresenta uma análise dos dados mais confiáveis e atualizados de 75 países e 25 agências de apoio externo sobre questões relacionadas ao financiamento do acesso universal à água e ao saneamento no âmbito dos ODS. Água potável e saneamento são cruciais para o bem-estar humano, apoiando a saúde e os meios de subsistência e ajudando a criar ambientes saudáveis. Beber água insegura prejudica a saúde humana por meio de doenças como a diarreia e esgotos não tratados podem contaminar o abastecimento de água potável e o ambiente, criando um fardo pesado para as comunidades.

Fonte: Organização Mundial da Saúde

Veja também

Pacto Global da ONU lança relatório sobre desperdício de água em redes de distribuição do Brasil

Em 2015, 182 bilhões de litros de água foram perdidos em vazamentos, fraudes, roubos ou ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *