Home / Noticias / Pesquisadores dos EUA descobrem como o vírus zika atinge bebês ainda na placenta

Pesquisadores dos EUA descobrem como o vírus zika atinge bebês ainda na placenta

Pesquisadores da Universidade de Yale, nos EUA, informaram a descoberta do processo de transmissão do vírus zika da mãe para o bebê durante a gestação, abrindo caminho para evitar as consequências desse tipo de infecção como lesões cerebrais no feto em desenvolvimento que levam à microcefalia e outras alterações incapacitantes, algumas delas, letais.

Segundo reportagem do jornal O Globo, os pesquisadores conseguiram reproduzir em laboratório o processo de infecção das células da placenta humana. A equipe de Yale trabalhou com três diferentes linhagens de zika, dentre elas a brasileira.

Publicada na edição desta semana da revista científica “JCI Insight”, a pesquisa lança luz nas armas usadas contra o zika para vencer a chamada barreira materno-fetal, uma camada de células que protege o feto de micro-organismos e substâncias nocivas. Vírus, como os da rubéola e o citomegalovírus, conseguem atravessar essa barreira, mas os mecanismos empregados pelo zika permaneciam um mistério.

Dois tipos de células se mostraram indefesas contra o ataque do zika. Tanto fibroblastos quanto células de Hofbauer foram facilmente infectados em culturas de laboratório. Porém, as células de Hofbauer também são alvo dentro de todo o tecido placentário. A aposta dos cientistas é que essas células funcionem como usina de replicação do zika. O achado é particularmente alarmante porque essas células podem migrar por toda a placenta e são transportadas para o feto. As células foram extraídas de placentas humanas doadas logo após o parto, de gestações sem nenhum tipo de complicação.

A suspeita do grupo de pesquisa é que as células de Hofbauer levem o zika diretamente para o cérebro do bebê. Os cientistas agora começam a testar formas de bloquear a produção do vírus dentro dessas células e interromper sua circulação pela placenta. Bloquear somente as células é impossível porque são importantes durante a gestação. O desafio é desativar os mecanismos de ação do vírus sem prejudicar o feto.

 

Veja também

Abiclor participa da reunião da Câmara Ambiental da Indústria Química e Petroquímica da Cetesb

O diretor-executivo da Abiclor, Martim Afonso Penna, e o assessor, Nelson Felipe, além do consultor técnico, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *