Home / Noticias / Produção de cloro recua 2,7% e a de soda, 3,6% no 1º tri

Produção de cloro recua 2,7% e a de soda, 3,6% no 1º tri

A retração da demanda doméstica e o aumento das incertezas continuam pressionando os indicadores da indústria de cloro e soda. No primeiro trimestre de 2016, a produção brasileira de cloro teve variação negativa de 2,7%, para 305,3  mil toneladas, na comparação  com o mesmo período de 2015. No caso da soda cáustica, a retração foi maior, de 3,6%, para  333,9 mil toneladas, em relação ao igual trimestre do ano anterior.

A taxa de utilização da capacidade instalada da indústria foi de 80,6%, o que representa uma redução de 3,8% ante os primeiros três meses  de 2015.

As vendas totais de cloro caíram 14,5%, para 35.811 mil toneladas, e as de soda, recuaram 5,2%, para 292.599 mil toneladas, no trimestre avaliado.

O consumo aparente de soda cáustica no trimestre foi de 541,1 mil toneladas,  12,2% menor que em igual intervalo de 2015. Em relação ao cloro, o consumo aparente apresentou queda de 2,7 % no mesmo período, com  306,6 mil toneladas.

O cloro e a soda são empregados integralmente por outros 16 setores de atividade econômica, como metalurgia e siderurgia, papel e celulose, alumínio, têxtil, sabões e detergentes,  alimentos e bebidas, tratamento de água, entre outras, além da própria indústria, cujas empresas integradas reservam parte da produção para uso cativo.

Veja também

Abiclor participa da reunião da Câmara Ambiental da Indústria Química e Petroquímica da Cetesb

O diretor-executivo da Abiclor, Martim Afonso Penna, e o assessor, Nelson Felipe, além do consultor técnico, ...

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *