Home / Noticias / Empresas ajudam a combater epidemia de diarreia em Alagoas

Empresas ajudam a combater epidemia de diarreia em Alagoas

O setor de cloro e soda se uniu ao governo de Alagoas para enfrentar o surto de diarreia que atingiu o estado, causando a morte de 56 pessoas e deixando 80 mil doentes. A Beraca atendeu ao chamado da Associação Brasileira da Indústria de Alcalis, Cloro e Derivados (Abiclor) e fez uma doação de 16 mil pastilhas efervescentes de cloro à Secretaria de Saúde de Alagoas. Fabricadas exclusivamente para o caso alagoano, cada pastilha, de  5 gramas, é suficiente para torna próprio para o consumo 2.500 litros de água.  A Braskem contribuiu com doação de hipoclorito de sódio, além de material de apoio.

“Como fabricantes deste insumo e por ser uma questão de responsabilidade social e ambiental, resolvemos colaborar paraos alagoanos  saírem desta epidemia”, afirma Elias Oliveira, Relações Institucionais da empresa. Essa não é a primeira vez que a A Beraca participa de iniciativas como  essa. Em 2010, a empresa doou aproximadamente 40 mil pastilhas de cloro para o tratamento da água no Haiti, que estava contaminada devido o terremoto que atingiu a ilha.

“O cloro é extremamente importante para a qualidade de vida da humanidade. Ele contribuiu ativamente para a redução da mortalidade causada pelo consumo de água não potável”, afirma Aníbal do Vale, presidente da Abiclor. Além de mobilizar os associados para ajudar Alagoas, a associação encaminhou eletronicamente para lá folheto informativo “Saúde começa em casa” sobre importância da água tratada e informações sobre o manuseio e uso adequado da água sanitária.

Entenda o caso

De maio a agosto deste ano, foram registrados mais de 80 mil casos e 56 mortes por conta da epidemia de diarreia em Alagoas, segundo dados da Vigilância Epidemiológica do estado. O número de doentes é quase o dobro do registrado no mesmo período do ano passado, quando a doença atingiu 47.486 alagoanos.

As autoridades acreditam que o consumo impróprio da água pode ter sido o responsável pelo surto deste ano. De acordo com o governo, a estiagem prolongada sofrida pela região também contribuiu para o caso. Órgãos de saúde do estado orientam que a população adote medidas simples de higiene, como lavar as mãos e os alimentos, além de cuidados com a água que será utilizada, a exemplo do uso do hipoclorito e da fervura, nos casos em que ela não for tratada.

Veja também

IBGE: vendas no varejo sobrem 0,7% no ano

O volume de vendas do comércio varejista em todo o país fechou agosto com queda ...

Um comentário

  1. You get a lot of respect from me for writing these helpful arseilct.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *